Vazamento de dados

Uma notícia publicada no dia 17 de janeiro parece dar razão para os analistas que fizeram as previsões mais preocupantes a respeito da proteção às informações no ano de 2019. O motivo da apreensão é que o pesquisador australiano Troy Hunt avisou ter detectado um vazamento de dados chamado de Collection #1, que teria comprometido cerca de 773 milhões de e-mails, além de mais de 20 milhões de senhas.

Estes números já são suficientes para projetar que os próximos 12 meses serão bem mais complicados para os profissionais de segurança do que o mesmo período no ano anterior.

Isto porque as dez maiores crises registradas no ano passado juntas somam 1.132.880.000 de usuários prejudicados. Nesta conta estão o caso do Hotel Marriott (500 milhões de clientes afetados), My Fitness Pal (150 milhões) os 120 milhões de CPFs de brasileiros, o caso Quora (100 milhões),  My Heritage (92 milhões), Facebook e Cambridge Analytica (87 milhões), Google + (52,5 milhões) Facebook ( 29 milhões), T-mobile (2 milhões) e British Airways (380 mil).

Agora, o Collection #1 sozinho, ocorrido no primeiro mês do ano, com seus mais de 773 milhões de privacidades expostas já teria alcançado um patamar de aproximadamente 68,2% dos casos mais famosos registrados ao longo de um ano completo.

A preocupação fica ainda maior quando se observa que os arquivos vazados em janeiro deste ano apresentam mais de 2,69 bilhões de e-mails e senhas, em quase 90GB de informação. A explicação para a divulgação de ‘somente 773 milhões’ é que muitos endereços de e-mails estão repetidos.

Apesar de não existir a necessidade de pânico, o surgimento do Collection #1 com todo este impacto deve fazer com que as empresas que ainda não estão fazendo isto levem mais a sério não só a necessidade de buscar meios de minimizar as chances de sofrerem este tipo de problema, mas também tomarem o mais rapidamente possível as medidas necessárias para atender as exigências de regulamentações como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Caso contrário, além de todo o prejuízo de imagem e de credibilidade junto aos clientes, a consequência ainda pode ser pior com a incidência de multas pesadas que certamente prejudicarão o desempenho financeiro das corporações.

Já no âmbito dos usuários, nunca é demais lembrar que a primeira linha de defesa está relacionada com o comportamento que se adota ao participar de ambientes digitais.

Assim, mais do que falar, é necessário colocar em prática dicas aparentemente simples, mas que fazem toda a diferença em situações como no caso desses vazamentos.

Evite repetição de senhas, construa senhas fortes, sempre que possível, prefira utilizar mecanismos de autenticação de dois fatores. Desta forma você gera ou recebe um código pelo celular que será único a cada vez que fizer login. Assim, mesmo que a senha seja comprometida, sua conta continuará protegida.

Apesar do impacto sobre a notícia do Collection #1, o início do ano é sempre uma época de tentar buscar o lado positivo nos acontecimentos. Neste caso, o lado bom da notícia pode ser a transformação do fato em um alerta vermelho. Alguma coisa que chame a atenção. Que não deixe ninguém negligenciar as atitudes seguras. Nem empresas nem usuários estão livres. Então, que pelo menos estejam preparados.

O Human Point System da Forcepoint oferece proteção adaptável aos riscos para garantir o uso confiável de dados e sistemas. Se quiser se preparar melhor, entre em contato.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here