A digitalização está mudando radicalmente a forma como as organizações operam, criando novos desafios para a gestão de redes distribuídas. Datacenters distribuídos, sites corporativos e a nuvem devem ser protegidos. As empresas precisam de soluções de segurança de rede que se adaptem a requisitos altamente dinâmicos. A Forcepoint está buscando uma nova abordagem ao combinar o Next Generation Firewall (NGFW) com uma SD-WAN. Esta abordagem agora é parte de uma arquitetura holística de segurança.

Por William Rodrigues, Sr. Sales Engineer da Forcepoint

A transformação digital traz um grande potencial de mudança nos processos de negócios e fluxos de trabalho internos das companhias. Mesmo as pequenas e médias empresas (PMEs) dependem mais do que nunca de estruturas organizacionais distribuídas. Por exemplo, elas estão cada vez mais empregando freelancers e funcionários externos que trabalham em home office. Eles precisam de acesso aos sistemas internos de TI e aos dados corporativos, o que gera requisitos importantes de segurança e conectividade para as redes corporativas. Além disso, mais e mais empresas estão usando recursos externos na nuvem, como sistemas de armazenamento ou aplicativos SaaS (Software como um Serviço) como o Office 365.

SD-WAN é melhor do que MPLS

Conexões rápidas são necessárias para fornecer aos usuários um desempenho interessante nesses aplicativos. Nos últimos anos, as empresas confiaram principalmente no MPLS (Multiprotocol Label Switching) para esse fim. No entanto, esse método requer uma infraestrutura complexa de WAN. Isso é caro para ser implantado e comparativamente lento na transmissão de dados. As empresas têm sido aconselhadas a investir mais em redes WAN definidas por software, ou SD-WANs. A tecnologia utiliza redes WAN regulares baseadas na web para fornecer serviços de VPN e outras conexões de dados. Por exemplo, uma WAN definida por software pode substituir infraestruturas de rede como MPLS e, assim, reduzir significativamente os custos de TI.

Além da transformação digital, há outro desafio de segurança que as empresas estão enfrentando: por exemplo, softwares ransomware e de espionagem presentes na Internet podem acessar a rede corporativa através de exploits. São programas maliciosos especiais que prejudicam a funcionalidade dos serviços de rede. As evasões representam uma ameaça ainda maior. Os atacantes podem usá-los para camuflar suas explorações e, desta forma, disfarçar o tráfego de rede para que os processos de transmissão não possam ser detectados de forma certeira. Isso dificulta a interrupção de ataques usando as assinaturas existentes e outras funções básicas. O resultado é que poucos produtos de segurança de rede são capazes de afastar de forma confiável esses ataques.

Ao selecionar um sistema de segurança de rede adequado, as empresas devem se certificar de que a solução possa detectar e defender com segurança o ambiente dessas variantes modernas de ataque. Outro critério deve ser igualmente atendido: É importante que o produto possa lidar de forma segura com arquiteturas de rede heterogêneas e distribuídas. Ele deve garantir disponibilidade suficiente de dados e aplicativos através de uma vasta gama de dispositivos, redes e pontos de acesso. Além disso, a solução deve ser capaz de escalar de forma flexível devido ao aumento dos requisitos de digitalização e ser adaptável individualmente às necessidades específicas de segurança da empresa.

Uma solução de cibersegurança de rede consistentemente integrada

A Forcepoint, por exemplo, tem uma abordagem holística para tornar as redes corporativas aptas aos desafios do futuro em termos de conectividade, segurança e capacidade web e de nuvem. Com o NGFW, ou Next Generation Firewall, o provedor oferece uma solução de segurança de rede totalmente integrada que protege de forma confiável todos os dados e aplicativos por toda a infraestrutura de TI – seja no datacenter, nas várias instalações da empresa e na nuvem. Isso permite que os clientes gerenciem de forma eficiente processos complexos em redes corporativas distribuídas. Uma característica especial: milhares de firewalls, redes virtuais privadas (VPNs) e SD-WANs podem ser instalados e ativados em apenas alguns minutos através de uma console central. A solução também combina a segurança de um NGFW com a conectividade de classe empresarial de uma SD-WAN. A integração perfeita entre os vários dispositivos e redes garante a máxima disponibilidade de todos os aplicativos e dados.

De acordo com o relatório da IDC “Quantifying the operational and security results of switching to Forcepoint NGFW”, as empresas que usam a combinação do Forcepoint NGFW com uma SD-WAN desfrutarão de benefícios significativos em termos de conectividade, segurança e facilidade de uso. Na prática, isso significa:

  • 70% menos tempo de downtime devido à manutenção
  • 53% menos tempo de trabalho para os funcionários de TI
  • 86% menos ciberataques

Outra vantagem está no fato do sistema poder ser escalado conforme o necessário e adaptado de forma flexível ao crescimento das respectivas redes físicas e virtuais da empresa. As ferramentas e componentes existentes podem continuar a ser utilizados sem problemas.

O Forcepoint NGFW também fornece uma forte transparência e uma visão de 3600 de toda a arquitetura de rede.

Conclusão

As empresas devem verificar cuidadosamente se o seu firewall atual tem as capacidades de SD-WAN necessárias. Em caso negativo, elas devem investir em hardware SD-WAN dedicado ou mudar os fornecedores de firewall. Muitas vezes é mais barato e mais seguro comprar tecnologias de segurança e de rede de um único fornecedor.

O que achou desse post? Comente ou deixe sua duvida.

Fique atualizado sobre o mundo da Cyberseguraça. Junte-se à Forcepoint nas redes sociais: 

LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/forcepoint

Twitter: https://www.twitter.com/forcepointsec

Facebook: https://www.facebook.com/ForcepointLLC/ 

Instagram: https://www.instagram.com/forcepoint 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here